/home/claudio

Liefmans Goudenband (7 anos)

Posted in 'Baixa' Gastronomia, Escalada by cbrisighello on fevereiro 24, 2012

Esses dias arrumei as *desculpas que precisava para abrir uma cerveja de guarda que eu havia encontrado no mercado Zona Sul (RJ) anos atrás, uma  pechincha (os menos de R$20,00 me fizeram acreditar que estava com preço errado). Tomei  uma na época e reservei uma outra para guarda. Trata-se da belga Liefmans Goudenband:


De guarda? Sim, existem cervejas que podem ser guardadas por anos, seja pelo teor alcoólico ou pela riqueza dos ingredientes. Essa aí da foto tem 7 anos!! A capinha da rolha ainda marcava uma “validade” até 2015…


A Goudenband seria uma brown ale, porém um pouco diferente pela acidez incomum nas clássicas do estilo. Mais uma interrogação: cerveja escura “azeda” e envelhecida? Outro convite para os apreciadores de vinho…

Inicialmente, me surpreendi com a carbonatação do líquido mesmo com seus 7 anos de idade. Espuma pouco persistente. A aparência, marrom avermelhada semelhante (com o perdão da comparação grosseira) a uma coca-cola. Bem limpa/translúcida (fermento decantado no fundo da garrafa). Fui chegando perto do copo e aí começou uma experiência única… uma explosão complexa de aromas, uma viagem sensorial incrível! Não vou ficar traduzindo de maneira sofisticada, mas um bom Porto e toques de cereja foram surgindo na memória olfativa. Em seguida os pequenos goles: PUTA-QUE-PARIU, somente um palavrão para definir, ainda que em menor proporção, o prazer que se sequenciava naquele momento raro. A sensação levemente licorosa continuou pela boca, antes e depois de beber. Madeira, cereja, levíssima acidez, uma complexidade maravilhosa e muito mais equilibrada que a Goudenband mais “nova” que havia tomado antes. Me atrevo a botar esta cerveja no topo do meu antigo ranking, ao lado da Chimay Bleue  (outra pérola marrom, ‘a escolhida’ para o brinde do meu casório!). Essa Goudenband de 7 anos estava tão boa que a tomei solo, sem harmonizar com os antepastos que eu havia preparado.

Como é rico o universo da cerveja! Vale muito a pena, sempre recomendo!! Depois desta experiência eu prometi a mim mesmo que, cedo ou tarde, farei uma com poderio de maturação por diversos meses…

Saúde!

*pra quem ficou curioso sobre a ‘desculpa especial’ da ocasião: foi um dia de escaladas marcantes (leia-se no limite da superação) para mim e para a Yuri. Não faço a menor questão de relatar cadenas/números pessoais, portanto apenas lembremos que o importante é “degustar” a vida com intensidade, sempre praticando a arte pela arte ;-]

4 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Bro said, on fevereiro 29, 2012 at 1:00 am

    “degustar a vida com intensidade” isso é f. demais! Tava inspirado hein! Obrigado re-acender meu tesão!

  2. eric said, on março 5, 2012 at 7:31 pm

    Oi Claudio,
    Poxa nao conhecia essa cerveja Goudenband, vou tratar de fuçar aqui na Bélgica. Agora parabens pela paciencia e o esforço de conseguir reservar ! Tentei fazer o mesmo com a Orval, que se recomenda 2 anos de repouso, mas acabei tomando antes do prazo … Talvez tenha sido pela facilidade ao acesso. Mesmo assim, a Orval é e talvez permanecera uma produçao reduzida, até aqui ta se tornando raridade (somem rapido do comercio apos entrega). Se tiver uma Orval por ai, guarde !
    Outra coisa interessante da cultura da cerveja sao os copos, cada uma no devido. Mas copo de chope em geral é um fracasso servir uma boa cerveja, devido ao angulo do fundo do copo. Melhor entao servir em copo de vinho (fundo arrendondado, nao espuma). Finalmente, quase cada cerveja tem uma temperatura exata de degustaçao. Esse fator muda muito o gosto. A temperatura esta indicada no rotulo de tras, em geral.
    Legal o cultivo de lupulo !!
    Abrs,
    Eric

    • cbrisighello said, on março 6, 2012 at 11:25 am

      Valeu pelo comentário Eric!
      Provei uma Orval em São Francisco uma vez, foi a última trapista que conheci e bem diferente do que esperava… aqui no Brasil ela é cara demais, inviável :-/
      Pois é, infelizmente por aqui temos essa cultura da cerva “estupidamente gelada”, certamente porque se esquentar, fica intragável (me referindo às macros).
      E concordo plenamente sobre os copos! E a taça da Kwak?
      Abraços e procure sim pela Goudenband, e guarde uma por uns anos!

      • eric said, on março 12, 2012 at 8:24 pm

        é a Kwak se tomar rapido no final … vai na cara, rsrsrs. Pois é aquele copo é unico, foge da regra.
        Vou procurar pela Goudeband, ta com cara boa !!

        Abraços e boas escaladas, ontem finalmente rolou de escalar na pedra, o inverno chegou ao fim !
        Eric


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: